segunda-feira, 25 de maio de 2015

3 dias de fim de semana

A rapariga fez febre esta noite e, para variar, sou eu a ficar em casa com ela. A minha mãe costuma ficar com ela mas esta semana tem imensas coisas marcadas e não podia ficar um dia inteiro fechada. Decidi que ficava com ela, não sem me corroer de culpa por não ir trabalhar! Isto faz sentido por acaso? Sentirmo-nos culpadas por tomarmos conta dos nossos filhos doentes... Enfim.

domingo, 24 de maio de 2015

E ontem foi dia de festa!!

Parabéns a mim! 34 já cá cantam!

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Os dias tão bons!

Em que jantamos todos juntos, sem birras, Deitamo -nós com a certeza que o amanhã vai ser um dia bom. Acordar cedo, fazer uns lindos 3km à beira mar sem vento, e sentir que por cada dia menos bom existem pelo menos 10 fantásticos! 

Bom dia


terça-feira, 19 de maio de 2015

A vida não pára..

Às vezes sinto-me a ser engolida pela vida. Esta é uma dessas fases.. Sinto que a vida me esmaga aos bocadinhos, ou corre à minha frente, apresada. Eu tento acompanhar com passos largos que nunca são grandes o suficiente para cumprir o objetivo. Sinto-me a ser comida pela ansiedade da vida que não consigo ter tempo de viver. Às vezes é fácil lidar com estas questões, outras vezes não. 

Mais uma

Corridinha muitooooo curta de menos de 20 minutos. Hoje estava vento e eu cansada, foi mais difícil, tanto que só fiz 2,6km. Foi o que deu! É para aprender a não parar 4 dias seguidos. 

Coisas úteis para correr: uma banda para a cabeça que tape as orelhas. Pelo menos para mim que corro cedo e à beira mar. É essencial, ou não conseguiria aguentar dos ouvidos! 

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Fins de semana que voam!

Sexta uma festa de aniversário que acabou às 2 da manhã, comigo a entrar no trabalho sábado às nove! Ontem dormimos quase até às 10, maravilhoso portanto! E depois tivemos direito a pequeno almoço na praia, e a miúda excitadissima com a areia e mar. As tardes, em vez de serem passadas a arrumar coisas, têm sido utilizadas para comprar coisas em falta, e estar com a família. Resultado: a casa ainda tem mt que arrumar! Não corro desde 4a, e hoje não fui capaz.. Mas a ver se amanhã não me escapa!

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Mais 20 minutos

Acordar às 5h45, sair de casa às 6, correr 20 minutos em frente ao mar, caminhar 5 e alongar. Voltar, tomar um duche e preparar-me para 12h de trabalho. Foram 3,24km. Ainda me custa correr mais de 20 minutos... Mais importante que isso é o corpo activo e a mente disperta para o duro dia que me espera! Vamos lá. 

terça-feira, 12 de maio de 2015

Aguenta coração!

Vou buscá-la toda entusiasmada porque é o nosso dia de estarmos juntas mais tempo. Ela e eu muito felizes. Depois começa o filme de terror. Ela faz xixi na cadeira do carro, nunca tinha acontecido!(antes de sair da escola perguntamos se queria ir e disse que não). Banho quando chegamos a casa e depois birras atrás de birras. Porque não quer sair do banho, nem secar o corpo com a toalha, nem passar creme, nem vestir, nem quer que eu pegue nas meias, nem nas cuecas... Cada passo da rotina é uma luta. E eu fico triste, porque podíamos ter um bocadinho tão bom juntas e é só um bocado muito cansativo que estou com ela... E que faço? Passamos o tempo em "lutas de poder"?  Tento as técnicas de distração com outras coisas ou motivar para as coisas que vamos fazer a seguir, e não resulta.

Ninguém disse que a maternidade era perfeita...

Quando a vida nos dá limões!

Ora fazemos limonada! 
Apercebi-me que se não fosse antes do trabalho não faria desporto. Custa-me abdicar do pouco tempo em família. Assim, rabo fora da cama antes das 6 da manhã, corrida de 3km em 20minutos. Para começar não está mal! 

domingo, 10 de maio de 2015

Tempo a sós

Comigo mesma. Estava a precisar. Eles dormiam e eu vim correr/caminhar. Há alturas em que não consigo acompanhar o ritmo da vida. Corri 2km e doía-me tudo. Optei por fazer o resto a caminhar a olhar para o mar. Agora estou a caminho da minha vida agitada outra vez! 

quinta-feira, 7 de maio de 2015

Vida sem net

Estive sem acesso à net todos estes dias e, mesmo agora, só tenho no telemóvel, pelo que não tenho passado por cá! Por um lado sabe muito bem desligar desta forma tão radical, por outro sente-se falta das coisas, das pessoas que não se conhece. Na casa nova corre tudo bem, mas ainda temos muitos caixotes para arrumar e algumas coisas na outra casa. Vida de quem trabalha é mesmo assim!!

quinta-feira, 30 de abril de 2015

Exausta e assoberbada!

É tanta coisa, tanta... Mudar de casa quando ainda não tinha recuperado do Stress anterior, talvez não tenha sido a melhor ideia. São tantas, tantas coisas para tratar e pensar, a miúda que está constipadissima, irritada, só choraminga por tudo e nada, ao mesmo tempo não nos larga, não quer dormir quando está em casa, só quer estar colada a nós, e nós exaustos! Ontem não jantamos outra vez. Chegamos a casa quase as 21h, fomos-lhe dar banho e estava com tanto sono que optamos por jantar depois de ela adormecer. O problema é que ela não cede facilmente. Quis que fossemos para a nossa cama, os 3, e nós estamos cansados e cedemos. Acordei às 2h da manhã, com as luzes da casa todas acesas, e os 3 na nossa cama. Não é a primeira vez, mas estou cansada desta falta de regras nocturnas. Resultado é que não dormi nada de jeito! Bahhghh 

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Fico fula!

Casa nova, devia estar tudo bonitinho. Já descobri umas 5 ou 6 coisas que vão ter de ir lá arranjar e retocar. Algumas delas grosseiras. Mas porque raio as pessoas não têm mais brio no seu trabalho e ficam sempre à espera de ver "se passa" e as pessoas não reclamam??

terça-feira, 28 de abril de 2015

Em mudanças!

Andamos a empacotar coisas. Mudamos no próximo fim de semana e eu não sei como vamos conseguir. Se alguém tiver sugestões, agradecemos!  

E depois? E depois quanto tempo para colocar tudo no sítio? Como há pessoas que fazem isto tantas vezes? 

sábado, 25 de abril de 2015

E mexer-me, ah?

Pois, eu acordei cedinho. Acontece que ontem fomos adormecer a cachopa na nossa cama uma vez que estava difícil de a acalmar, e acabamos por adormecer os 3. Eu nem tinha jantado! Mas como eu estava a dizer, acordei cedinho porque não tinha sono e queria fazer desporto. Acontece que estou para lá de ranhosa (já há uns dias..), e está um tempo muito pouco convidativo. E eu até tenho bicicleta fixa mas a vontade é tão pouca de fazer desporto dentro de casa... enfim! Isto de voltar a ginasticar não é fácil, e nós somos o nosso principal entrave, sem dúvida!

terça-feira, 21 de abril de 2015

Retomar o exercício!

Hoje consegui ir correr. Foi bom, correr à beira mar, a sentir o vento na cara (que hoje não era vento forte nem frio), respirar a maresia e pensar. Foi muito bom, mas custou. O corpo está mesmo desabituado deste esforço, mas a minha cabeça agradece. A minha cabeça precisa desesperadamente deste esforço, sob pena de ceder ao cansaço mental.

Sei que corri 28minutos seguidos, e no fim caminhei 5 minutos e fiz alongamentos junto à areia. Quando depois peguei no carro medi a distância que fiz: exactamente 4km. 
Não tenho percepção se é bom ou mau. Suponho que não seja grande coisa, mas é um princípio! 

E pensar que eu, há 5 anos atrás, fazia 10km a correr para descontrair, não tinha a mínima noção de que fazia tantos km, nunca chegava cansada, e não achava aquilo nada de especial (tal era a excelente forma física em que estava). Agora fiz 4, e fiquei exausta...

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Agora a música é outra!

As viagens da carro agora têm outra banda sonora! A pequena está sempre a cantar e sabe muitas letras de cor. Então vai de "a Joana come a papa" para "o balão do João", para a do cavalinho, e continua, toda feliz a trautear pelo caminho! Bom dia, e boa semana!

domingo, 19 de abril de 2015

Viver a vida, finalmente!

Estou a tentar retomar a minha vida. A vida de alguém normal. Não é fácil ir com calma. Não é fácil não estar estressada com 1500 coisas para fazer. Só quem, como eu, passou tanto tempo seguido com uma lista gigante de afazeres profissionais, e datas e prazos e coisas 1000, é que entende como é tão difícil colocar um pé no travão. Ontem ainda não consegui estar calma e aproveitar o dia. Não consegui interiorizar que tenho o meu emprego, que é feito durante a semana, que me consome muitíssimas horas semanais, mas que não me obriga a levar trabalho de casa. Já me esqueci o que é não ter que estudar/trabalhar ao fim de semana. Mas hoje acordei com outro espírito. Hoje decidi aproveitar tudo o que de bom há para aproveitar, sem olhar para o relógio:
 - Fui correr de manhã. 30 minutos. 20 a correr 10 a caminhar. Não foi mau tendo em conta o meu grau de inactividade. Alonguei no fim e soube bem.
- Fomos até à praia com a  miúda, passear, brincar na areia, correr, rir...
- Viemos e ela adormeceu e agora estou a "vegetar" no sofá. 

E é tão bom... claro que hoje já por mais de 3 ou 4 vezes disse: Vamos! Já viste as horas? Estamos aqui parados sem fazer nada!!!! E depois páro, penso e digo para mim própria: E então? Já te davas permissão para descansar!!!

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Livre

Apesar da exaustão deste período de enorme Stress, agora que passou sinto-me livre.... Agora sei que os fins de semana vão ter um significado especial e que o relógio só vai ser usado nas horas de trabalho fora de casa. Agora sinto que vou poder respirar. Fundo. Sentir o ar a entrar bem lá dentro e o oxigénio a subir bem lá em cima. Agora vou passar a ter uma vida normal, com muito trabalho mas pelo menos, quando estiver em casa, estarei a 100%! 

domingo, 5 de abril de 2015

Primeir vez a comer chocolate

Pela primeira vez, com 2 anos de vida, a pequena comeu algo declaradamente de chocolate. Uma bolacha (um "húngaro"). Primeiro demos-lhe só a parte sem chocolate, mas ela agarrou a outra parte e disse "posso comer mamã?" e eu, desta vez, acedi. Depois da primeira já queria agarrar-se a mais. Pressuponho que gostou...

Sono profundo

A pequena, às 10h15 ainda dorme!!! Pudera com a actividade de ontem não admira! Praia a manhã toda, depois sesta e depois parque das 17 às 20h, sempre a correr e aos saltos! Um autêntico sono de beleza. Aposto é como hoje não vai haver sesta para ninguém!!

Voltar à estaca zero

Aqui há uns anos eu mudei o meu estilo de vida radicalmente.
Foi após um verão a comer tudo o que me aparecia à frente, desabituada de realizar exercício físico, com um namorado (agora marido) que não estava muito importado com os quilinhos a mais. Olhei para uma foto minha desse verão e deu-me um baque. Pesei-me: 58kg. Para 1,54m. Era muito. Nunca tinha pesado tanto. O meu peso "normal" antes dessa fase andava à volta dos 51kg. Tinha engordado 7kg, aos poucos, sem me importar muito e sem dar realmente conta, não fosse o facto de ir comprando roupa sucessivamente maior. 

Como eu dizia, mudei completamente o meu estilo de vida. comecei a fazer exercício progressivamente, mudei a minha alimentação eliminando doces e fritos, e levando sempre um lanche saudável comigo para a faculdade. Cheguei aos 48kg sem "grande dificuldade". Após interiorizar aquele estilo de vida para mim era perfeitamente normal. E com 48kg sentia-me realmente bem. Sem gorduras penduradas, com uma forma física invejável e uma resistência de fazer corar qualquer pessoa. Mantive-me assim anos! A oscilar entre os 48-50kg, pouco preocupada com isso porque mantinha a minha vidinha saudável. 

Depois veio o trabalho intenso. Comecei a diminuir drasticamente a quantidade de exercício físico. Depois veio uma gravidez que não resultou. 3kg em cima, e muita tristeza. Depois vieram os tratamentos de fertilidade. Tudo isto junto fez com que deixasse de ter motivação e "tempo" para o exercício físico e começasse a cometer várias asneiras alimentares. Engravidei com 53kg. Estava bem. Não óptima. Principalmente porque eram 53kg sem fazer exercício físico. Ou seja com muito menos resistência. Depois da gravidez rapidamente ceguei aos 57kg e quando comecei a trabalhar fui novamente para os 53. A verdade é que com uma criança, com trabalho intenso e horários loucos, e muito muito sono a coisa começou a descambar. Nos últimos meses, por motivos profissionais tenho estado muito mais parada e com muito mais stress. Exercício praticamente nenhum. Comer: com o stress isto tem corrido muito mal e como tudo o que me oferecem. Os nossos pais também se "desleixaram" porque perceberam que nós voltamos a aceitar os múltiplos docinhos e comidas menos saudáveis e por isso abusam nos almoços de família no que colocam na mesa.

Resultado -> 57kg, cheia de pneus, péssima forma física. E as minhas artérias que devem estar a pedir um descanso de porcarias. Hoje é um péssimo dia para me lembrar disto, ou não fosse Páscoa. Mas o que é certo é que tenho de dar novamente volta à minha vida, antes que ela me dê a volta a mim. Mas não é fácil. Quando se tem horários complicados e uma filha pequena não é fácil.
quanto ao exercício vou fazer o que estiver ao meu alcance, mas relativamente à alimentação as coisas vão ter mudar drasticamente novamente. O problema é que nem sei por onde começar...

Domingo de Páscoa

Almoço combinado com a minha mãe e meus sogros. Os meus irmãos vão aos respectivos sogros, pelo que hoje somos só nós. Eu só penso que não posso perder muito tempo e tenho de me agarrar aos livros e computador. Tem de ser. Vamos ver como vou conciliar tudo. Ontem o dia não me correu nada bem. Não rendeu o que precisava, estava cheia de stress, e a pequenita começa a acusar o facto de estar menos comigo. Tudo coisas que me moem o coração... ai vida, a quanto obrigas...

E agora uma coisa que nada tem a ver com a Páscoa, mas que tem gerado algum stress cá em casa!
A pequena agora tem receio de defecar... uma das vezes teve as fezes mais duras e doeu-lhe. Agora sempre que tem de fazer outra vez chora e sangra no final. Provavelmente tem uma fissura. Já falei com a pediatra, e a ordem é dar muitos alimentos que amoleçam as fezes e acelerem o trânsito, coisa que nós já fazemos. O problema é mesmo a miúda que anda a prender as fezes o máximo que consegue porque tem medo... tem tanto medo que quando tem vontade começa logo a chorar e a dizer que não quer ir ao wc.. corta-nos o coração vê-la naquela desespero!
Já não sabemos muito bem o que fazer! Numa hora é capaz de pedir para fazer xixi 10 vezes até finlemnete conseguir fazer o seu cocó...

sábado, 4 de abril de 2015

Abdicar dela custa-me tanto...

Recebi mensagem do meu marido. Estão no parque e está-se muito bem. 

Eu estou com dificuldades de concentração mas tenho mesmo de fazer isto. Ah, que chatice! Custa-me não estar com ela ao fim de semana. Ainda por cima queria ir correr um pouco hoje ao final da tarde e acho que não vou conseguir abdicar de mais 30 minutos sem ela para fazer desporto. (Apesar de estar meeeesmo a precisar para aliviar o Stress). 

Quando os avós são uma verdadeira ajuda!

Ontem, depois de trabalhar o dia todo, combinamos ir jantar fora para relaxar. Perto de casa, rápido, e com a minha mãe também. Ela, que pensa sempre em nós, disse para irmos só os dois que precisávamos relaxar um pouco. Ela ficou com a pequena e deu-lhe de jantar. Foi mesmo bom irmos assim os 2 à noite! Demoramos 1h15, mas aproveitamos mesmo! Maravilha. Obrigada mãe! 

As coisas não se conseguem sem esforço

O dia está novamente fantástico! Eles foram para a praia, eu vim para a biblioteca trabalhar a ver se não me distraio muito e adianto serviço.  Se me sabia bem estar com eles? Sabia. Muito. Mas há prioridades, e esta é uma delas. Fazer um esforço, um último esforço, para chegar ao fim e dizer com orgulho que trabalhei para ter o que tenho. 

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Que dia maravilhoso

E eu aqui enfiada a trabalhar....

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Daqui a duas semanas

Acaba este stress terrível em que ando... Uma fase da minha vida que termina, e uma, espero que melhor, se irá iniciar. Mais duas semanas do pior stress profissional que já passei. Estou exausta, mas preciso dar tudo nesta fase. O problema é conseguir trabalhar à noite em casa, como preciso. Todos os dias digo que o vou fazer e depois cedo ao cansaço.. Só faltam 2 semanas... Ainda faltam 2 semanas!

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Aprender a viver e aceitar a personalidade dos nossos filhos

A minha pequenita em casa é completamente eléctrica. Não pára um minuto. Fala, fala, canta, corre, brinca. Mas basta alguém com quem ela não tem tanta confiança estar por perto, que acabou. Falar nem pensar! Brincar ainda vai brincando, mas não abre a boca. Gostava que ela não ficasse tão inibida, e pelo menos connosco continuasse a falar. Mas o problema é que eu posso-lhe perguntar o que quiser que ela não responde ou apenas sussurra! E mesmo brincar nem sempre continua como estava. Por exemplo: foram uns primos lá a casa que têm uma criança da idade da minha. Ela brincou, mas mal abriu a boca a não ser para chamar o menino 2 ou 3 vezes. Falar com os adultos então, é para esquecer. Com a minha empregada foge dela a 7 pés! Eu, que sou bastante faladora, acho isto estranho. Tudo bem ser reservada, mas ela muda como da noite para o dia, e inicialmente nem da nossa beira sai. Gostaria que não ficasse tão "incomodada" com estranhos. Depois claro que ficam surpreendidos quando eu lhes digo que ela até fala muito e não pára quieta! Dizem-me sempre: "É tão sossegadinha".

segunda-feira, 30 de março de 2015

Parece que chegou a primavera!!

Eu de camisa sem mangas, ela vê-me e fica muito admirada:
Ela - oh mamã num tem roupa - enquanto passa a mão nos meus braços. A roupa num tem braços, mamã! 

Oh o que nós rimos! 
Depois coloquei-a só com a camisola interior dela que é sem manga e ela adorou estar igual a mim!